10 dicas de poupança para preparar o futuro

Uma das regras de ouro de gestão das finanças pessoais passa por definir estratégias para a poupança, como, por exemplo, evitar gastos supérfluos, fazer muita poupança doméstica, planear bem o orçamento familiar e definir à partida uma percentagem específica do vencimento para constituir um pé-de-meia.

Em tempos de incerteza, é natural que estejamos mais predispostos para a poupança, sabendo distinguir claramente as vontades das necessidades, estabelecendo prioridades tendo em vista as metas da poupança. A este respeito, há quem se preocupe em ter um fundo de emergência para um qualquer imprevisto ou despesa inesperada, poupar para comprar uma casa, um carro, pagar os estudos superiores aos filhos ou mesmo para preparar a reforma. Seja qual for a meta, é fundamental criar hábitos de poupança e nunca perder de vista os seus objetivos financeiros.

Para tal, o nosso primeiro conselho passa por começar a elaborar um orçamento mensal, sobretudo se não tiver este hábito. Esta é uma forma de ter uma noção global dos ganhos e gastos, permitindo ter uma consciência mais clara de onde vem o dinheiro e para onde vai. Liste a sua receita mensal, que são todas as suas fontes de rendimento, e as despesas fixas e variáveis. A partir daqui poderá determinar com rigor o que sobra para a poupança e onde poderá cortar para ir aumentando gradualmente esta margem.

Se os seus gastos estiverem muito ajustados aos ganhos, isto é, se não tem qualquer margem para a poupança, então, espreite estas dicas de poupança que o poderão ajudar a equilibrar as suas finanças a médio e longo prazo.

10 dicas de poupança para preparar o futuro

1. Fazer economia doméstica

Como a maior poupança está na gestão das despesas do dia a dia, a economia doméstica é muito importante para quem quer e precisa de poupar dinheiro. Eis algumas dicas de poupança doméstica a ter em consideração:

  • Tome, sempre que possível, o pequeno-almoço em casa e leve almoço para o trabalho;
  • Partilhe boleias;
  • No supermercado, opte por comprar marcas brancas;
  • Evite torneiras abertas por demasiado tempo e banhos longos;
  • Evite lavar máquinas de roupa com pouca carga;
  • Não deixe as luzes ligadas desnecessariamente e, se precisar de comprar um eletrodoméstico, opte por equipamentos energeticamente eficientes;
  • Opte por lâmpadas económicas;
  • Evite deixar o botão stand-by dos aparelhos ligado;
  • Não desperdice alimentos (faça listas de compras a pensar nas refeições da semana e faça a gestão das idas às compras para aproveitar promoções e vouchers);
  • Planeie férias com antecedência;
  • Reaproveite tudo o que for possível.

2. Ensinar a família a poupar

Como referido, um dos segredos da poupança é aprender a mudar de hábitos e de comportamentos em função das metas que se pretendem atingir. Por esta razão, deve partilhar essas metas com os membros da família para que, assim, comecem também a partilhar as responsabilidades da poupança. Todos podem dar o seu contributo para evitar gastos.

Se tem filhos sensibilize-os para as regras básicas de educação financeira. Estas devem ser incutidas nos mais novos desde tenra idade, de forma a que a poupança se torne um hábito natural e não apenas uma prática ocasional. No futuro, esta prática ajudá-los-á a tomar as melhores decisões financeiras para as suas vidas e a tornarem-se adultos autónomos e financeiramente responsáveis.

3. Renegociar contratos de serviços

Tem a certeza que está a pagar o tarifário de telecomunicações ou a tarifa energética mais baixa do mercado? Procure saber se o seu contrato é o que melhor se adequa às suas necessidades e se haverá alternativas mais competitivas no mercado (telecomunicações, eletricidade, gás, internet, entre outros).

4. Colocar o dinheiro a trabalhar para si. Aposte nas contas poupança

Mais do que guardar dinheiro, é importante que o tente rentabilizar. Para tal, o ideal é abrir um conta poupança que lhe dê um bom retorno. A este respeito, o Banco CTT tem uma série de soluções de poupança que o podem ajudar a economizar, seja através de uma conta poupança, depósito a prazo ou mesmo um plano poupança reforma.   

A Conta Poupança Livre dá-lhe total liberdade para poupar. Não tem prazos, nem montantes mínimos, os juros da conta poupança são acima da média que se pratica no mercado e o melhor é que pode ser mobilizável a qualquer altura. A poupança Banco CTT dá-lhe ainda a possibilidade de poupar de forma programada todos os meses ou ao seu ritmo, criando desde logo bons hábitos de poupança.

Após constituir a conta poupança do Banco CTT, poderá movimentá-la a partir do conforto de sua casa através do homebanking.

Para abrir uma conta poupança no Banco CTT, precisa de ser titular de uma conta à ordem no Banco. Caso ainda não seja cliente da instituição, basta deslocar-se a um balcão e abrir uma conta à ordem, de forma a que possa constituir a poupança de imediato.

5. Ajustar comportamentos no dia a dia

Ter uma noção bem clara do que se gasta é essencial para os seus objetivos de poupança. Ajustar alguns comportamentos diários para poupar dinheiro pode rapidamente se transformar numa grande fonte de poupança.

Por exemplo, se toma três ou quatro cafés por dia, tente não tomar um deles. Ao fim do ano, um gesto tão simples como este poderá ajudá-lo a poupar cerca de 255€. O mesmo se aplica a refeições fora de casa, que devem ser a exceção e não a regra.

6. Resistir ao consumo

Nos dias que correm, esta é, talvez, uma das dicas de poupança mais difíceis de concretizar, até porque o marketing das marcas está cada vez mais agressivo. Ainda assim, como tem metas de poupança bem definidas, o seu poder de decisão deverá estar mais apurado, sobretudo no que toca a distinguir entre o que é verdadeiramente necessário e o que é supérfluo. Para alcançar este objetivo, tente, por exemplo, evitar andar com o cartão de crédito na carteira ou fazer logout das aplicações bancárias nos seus dispositivos móveis.

7. Ter um mealheiro

Por mais estranha que lhe possa parecer esta dica, ter um mealheiro pode ajudá-lo a sentir-se motivado para a poupança. Isto porque esta é uma boa forma de tornar visível o montante da poupança. Aconselhamo-lo, para tal, a usar frascos de vidro. Sempre que chegar a casa ao fim do dia, coloque lá os trocos que traz no bolso. Vai ficar surpreendido com o que consegue poupar ao final de um ano. Por exemplo, se poupar dois euros por dia, num ano terá 730€ para juntar ao seu pé de meia.

8. Rever as apólices dos seus seguros

É habitual procrastinarmos a decisão de mudar de seguradora depois de termos encontrado no mercado um seguro mais em conta. A verdade é que, enquanto vamos adiando a decisão, vamos perdendo muito dinheiro durante este processo. Quer decida manter, quer decida mudar de seguradora, opte por personalizar as coberturas do seu seguro de acordo com as suas reais necessidades e ao preço que considerar adequado. O Banco CTT tem também uma oferta completa e competitiva que pode consultar aqui.

9. Procurar formas de ganhar um rendimento extra

Se o seu horário de trabalho lhe permite ter algumas horas livres, tente encontrar fontes de rendimento extra. Um trabalho de freelancer, de promotor, de consultor, pode ajudá-lo a aumentar o montante que vai depositar na sua conta poupança. A este respeito tenha duas coisas em mente: por um lado, quanto maior for o valor que conseguir pôr de lado, mais juros ganha e, por conseguinte, mais rentabiliza o seu dinheiro; por outro, não se esqueça que quando não está a ganhar dinheiro está a perdê-lo.

10. Dar um passo de cada vez

Sempre que definir objetivos de poupança tente ser o mais realista possível. É por essa razão que é tão importante o suporte do orçamento. Quando, a curto prazo, começar a perceber que a poupança está a surtir efeito, isso dar-lhe-á a motivação suficiente para continuar e para ir ajustando cada vez mais alguns comportamentos. Passado algum tempo perceberá o quanto gastava no passado sem necessidade. Seja resiliente.